A Rocha

Por Peter Amsterdam

Julho 3, 2012

Recentemente, Maria e eu estivemos na Suíça para uma reunião anual de diretoria da fundação, e também para cuidar de assuntos da AFI. Durante a visita, olhando pela janela na casa dos membros da Família onde estávamos, avistava o lindo lago rodeado de montanhas. Uma delas, exatamente do outro lado do lago, chamou a minha atenção. Eleva-se como uma rocha gigantesca, e cada manhã, quando abríamos a cortina, eu ficava contemplando a vista e me maravilhando com algo tão majestoso elevando-se ao fundo do lago. No sopé e até mais ou menos metade da montanha ela é coberta de campos e árvores, depois é só rocha até o cume.

Nos intervalos das muitas reuniões, eu aproveitava para contemplar a vista do lago, e sempre acabava com os olhos fixados na montanha, desfrutando daquele esplendor. Quando o céu estava limpo a montanha se via tão próxima que até parecia que conseguiria alcançá-la se esticasse as mãos. Outros dias, o topo ficava coberto de neblina e só era possível ver as árvores. Uma certa manhã a montanha inteira ficou coberta de neblina. Eu sabia que ela estava ali, mas não dava para ver nada.

No dia que viajaríamos de volta, ao dar uma última olhadinha na montanha o Senhor me fez pensar em diferentes amigos com quem tenho falado ou de quem ouvi notícias ultimamente, e das experiências e desafios que têm enfrentado. Um foi diagnosticado com uma grave doença em fase terminal que surgiu de repente, e ele precisou ficar internado alguns meses sem saber se sairia dali vivo. Um casal tinha planos para uma empreitada que renderia financeiramente, mas na última hora o negócio deu para trás. Uma outra pessoa está indo para outro país morar com a família sem saber se vai conseguir sobreviver financeiramente quando ali chegar. Essa mudança se deu por diferentes motivos, e ela tem buscado desesperadamente a orientação do Senhor, e agora as coisas estão se encaixando, mas ainda é um grande passo de fé. O ministério que um casal teve por anos chegou ao fim, e agora eles estão batalhando sem saber o que fazer. Um outro ficou sem trabalho em um momento em que ele e a esposa estão enfrentando doenças na família e ele ainda não conseguiu arranjar serviço.

Pensava nesses amigos enquanto observava a montanha, nos desafios que têm enfrentado, nos temores por não saberem o que os espera ou como vão conseguir viver ou o que o futuro trará. Cada um deles mencionou que, apesar de sua fé estar sendo colocada à prova, acreditam que o Senhor vai ajudá-los a superar. E ao pensar nesses amados e tantos outros que se encontram em uma situação incerta, o Senhor me fez pensar no que eu observara ao contemplar a montanha durante aqueles dias.

Alguns dias a existência da montanha se fazia óbvia pela nitidez da vista, já nos dias com neblina não se via nada. No entanto, independentemente do tempo, mesmo sem ver a montanha, eu sabia que ela estava ali. Cerração, nuvens, tempestades dificultam a visibilidade ou até obstruem a visão, mas o maciço rochoso permanecia ali firme, forte, inabalável.

Fiquei impressionado com a coragem e a profunda fé dessas pessoas e de muitas outras diante das incertezas da vida, mesmo quando a presença do Senhor não é tão evidente. Pensei no versículo “porque andamos por fé e não por vista”.[1] A questão é que Deus, como a montanha, está sempre presente com toda a Sua majestade. E sentir essa presença ou não é irrelevante, pois o fato é que Ele está ali ao nosso lado nas tempestades, nos períodos incertos e confusos, quando nossa fé enfraquece, nos temores, questionamentos, dúvidas e perdas.

Às vezes, nossa vida é só alegria e luz. As bênçãos de Deus são claras. Outras vezes, como acontecia com aquela montanha, a ponta fica coberta por nuvens, então é mais difícil ver ou sentir a Sua presença; e no meio da densa névoa de incerteza, podemos questionar se Deus sequer está por perto. Mas Ele, como a montanha, não muda. Está ali, sólido, inabalável, amoroso, atencioso, sem falhar. Como mencionado em A Essência de Tudo: A Natureza e a Personalidade de Deus: A Imutabilidade de Deus, o Antigo Testamento refere-se repetidas vezes a Deus como “a Rocha”. Era a maneira antiga de expressar sua firmeza e total fidelidade. O fato de Ele não vacilar, de sempre cumprir a Sua palavra e Suas promessas, de não mudar de ideia, de estar sempre disponível. Entendi muito melhor esse conceito observando a montanha, assimilando o fato de que não importa o que aconteça ao seu redor, ela fica firme e inabalável.

Por que, quem é Deus senão o Senhor?[2]

O Senhor é o meu rochedo e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação e o meu alto refúgio.[3]

Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei grandemente abalado.[4]

Contemplar essa montanha gigantesca, esse maciço rochoso elevando-se do outro lado do lago fez-me pensar na estabilidade de Deus, na certeza da Sua presença e do Seu auxílio em qualquer circunstância. Podemos nos preocupar ou temer, duvidar ou ficar inseguros; achar que as tempestades vão nos engolir, e até que Deus está ausente, não nos ouve nem se preocupa. Mas o simples fato é que as tempestades, nevoeiros e ventos na vida não afetam a presença de Deus, exatamente como não influenciam em nada a condição da montanha.

Deus está sempre presente, sempre fiel. Ele é a Rocha sólida, que jamais nos deixará ou desamparará.[5] A nossa fé pode falhar, mas Deus não depende disso, porque Ele é a Rocha, a montanha, o Fiel em quem sempre podemos depender, sempre.

Para mim essa montanha foi um lembrete da fidelidade de Deus, Seu amor e preocupação por nós; um lembrete de que Ele está no controle, mesmo que a situação seja incerteza para mim ou na vida dos que amo; mesmo quando parece que as nuvens ou o nevoeiro “grudaram”, a rocha permanece firme, a montanha está sempre presente.

Um tempinho depois, meditando e orando sobre tudo isto, o Senhor disse:

Eu sou a rocha firme, o alicerce sólido. Sou fiel e verdadeiro. Sempre estive ao seu lado, disponível, com amor eterno. Apesar de às vezes você não sentir a Minha presença, achar que o abandonei, temer e precisar ser tranquilizado em relação a isso, mas não conseguir encontrar paz, deve se lembrar que estou sempre ao seu lado. As circunstâncias não determinam a Minha presença, porque estou sempre ao seu lado. Eu sempre ouço as suas orações e sempre o atenderei. Pode não ser dentro do seu cronograma, e talvez ache que não respondi como queria ou esperava, mas Eu sempre o atenderei.

Muitas vezes é preciso paciência para receber e até entender a resposta que dei. Às vezes precisa esperar até a resposta complete, ou para entender como respondi. Outras vezes as Minhas respostas se dão por meio de um processo que depende de certos acontecimentos. Mas estou sempre ali, ouvindo as suas orações e as atendendo. Se não ocorre uma resposta de imediato e a situação fica anuviada e incerta, isso não se traduz em ausência ou que estou Me recusando a responder. Você deve sempre se lembrar que estou ali, além da neblina e da incerteza, exatamente como a montanha, mesmo que fora de vista. Sou fiel e verdadeiro, sou a Rocha à qual pode recorrer. Sou firme nas Minhas promessas, amor e cuidado por você e pelos seus. Estou sempre com você, até aos confins da terra e por toda a eternidade. Não importa o que aconteça ou deixe de acontecer, saiba que estou sempre ao seu lado, o amando, cuidando, e nunca falharei. Continue confiando em Mim, porque estou sempre ao seu lado.

Esta manhã, pensando e orando sobre algumas das minhas próprias provas de fé e incertezas, comecei a cantar uma velha canção da Família, o Salmo 121 em música. Serviu de lembrete da fidelidade do Senhor quanto à promessa de cuidar de nós durante toda a nossa vida.

Elevo os meus olhos para os montes, de onde virá o meu socorro. O meu socorro vem do Senhor que fez os céus e a terra. Não deixará vacilar os teus pés, não dormirá quem te guarda; eis que não dormirá o que guarda Israel. O Senhor é quem te guarda, o Senhor é a tua sombra à tua direita; o sol não te molestará de dia nem a lua de noite. O Senhor te guardará de todo o mal, Ele guardará tua alma, o Senhor guardará a tua entrada e a tua saída; desde agora e para sempre.[6]


[1] 2 Coríntios 5:7.

[2] Salmo 18:31.

[3] Salmo 18:2.

[4] Salmo 62:2.

[5] Hebreus 13:5.

[6] Salmo 121:1–8.

Tradução Hebe Rondon Flandoli. Revisão Denise Oliveira.

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies