Vamos Divulgar a Notícia!

Por Peter Amsterdam

Abril 2, 2013

A Palavra de Deus afirma que a vida é muito mais do que apenas este mundo e a nossa participação nele. Ela é apenas uma parte da nossa existência. Nossos espíritos continuam vivendo depois que nossos corpos se vão. A Palavra também nos ensina que o ser humano só poderá estar na presença de Deus no pós-vida se primeiro se reconciliar com Ele.

Deus, no Seu grande amor pelo mundo e por cada um de nós criou uma ponte para nos unir a Ele. Foi Jesus, que entregou a Sua vida pelos nossos pecados, e por causa desse grande ato de amor nossos pecados foram perdoados e poderemos viver na presença de Deus na próxima vida. Essa é a profunda verdade na qual nós, cristãos, acreditamos. É extremamente reconfortante saber que, por causa do sacrifício de Jesus, viveremos para sempre junto com Deus na outra vida.

Existe também um aspecto triste nessa questão, que é o fato de nem todos estarem informados disso, e muitos não sabem ou não entendem que podem ter a vida eterna junto com Deus. A maioria de nós também não sabia. Foi só quando outro cristão falou conosco ou lemos um texto a respeito ou vimos na mídia é que ficamos sabendo. Como essa pessoa nos informou e nós acreditamos, herdamos a vida eterna.

Hoje cedo eu estava agradecendo ao Senhor por Chuck, um amigo do segundo grau, que testemunhou para mim e esclareceu todas as minhas dúvidas com a maior paciência e de uma maneira bem simples para eu entender. Ele me mostrou alguns versículos chave na Bíblia que calaram fundo no meu coração. Ele não foi agressivo, não bateu com a Bíblia na minha cabeça nem tentou dar explicações teológicas da questão. Ele simplesmente demonstrou interesse por mim, teve paciência, foi atencioso e compreensivo. Ele esclareceu minhas dúvidas e explicou o amor profundo de Deus por mim.

A minha vida mudou completamente, porque quando eu estava buscando, desejando encontrar respostas, alguém tomou tempo para testemunhar para mim. Imagino que a minha vida teria seguido em uma direção diferente se Chuck não tivesse falado comigo do Senhor naquela época quando eu tinha fome espiritual e estava receptivo a ouvir sobre o Ele. Serei eternamente grato a Chuck pelo que ele fez.

Imagino que a sua história seja semelhante à minha. Alguém falou com você de Jesus, talvez seus pais, ou um pastor, ou alguém testemunhou para você na escola, na rua ou em um restaurante. Pode ter sido um amigo, um parente, um colega de trabalho, ou alguém sentado ao seu lado no ônibus, trem ou avião. Provavelmente Deus usou alguém para lhe mostrar como o amava e lhe falar sobre Jesus, que morreu por você. Aposto que se sente feliz por a pessoa ter feito isso.

Nos últimos dois anos eu tenho escrito bastante sobre o nosso exemplo como cristãos, sobre manifestarmos o amor, a aceitação e a compaixão de Jesus no nosso dia a dia, e dessa forma aproximarmos as pessoas dEle. Isso é importante. Muitas vezes, o que desperta o interesse das pessoas é o nosso modo de viver, o amor que demonstramos, a luz do Espírito de Deus no nosso íntimo. Mas em algum momento também se torna necessário dar uma explicação. Existe a hora de falar e expressar a fé verbalmente. É importante não só a conduta cristã, mas também falar do Senhor, da salvação e da fé para aqueles com quem se envolve.

Divulgar o Evangelho é vital para as pessoas entenderem que existe uma outra vida após esta, e que Deus, no Seu profundo amor pela humanidade, nos deu a dádiva, a oportunidade de vivermos com Ele para sempre. Se o cristão não “contar a novidade”, as pessoas perderão a oportunidade de ouvir essa notícia maravilhosa.

“Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue?[1]

Eu sei que muitos de vocês passaram a vida testemunhando, e o que estou dizendo não é novidade, apenas um lembrete para continuarem testemunhando. Não importa a nossa situação, o chamado para compartilhar as boas novas está sempre presente. Jesus disse:

Assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.[2] Eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto.[3]

Cada um de nós recebeu o dom da salvação, que não nos custou nada, mas custou muito para Jesus. Ele Se entregou para redimir a humanidade, mas depende de nós, cristãos, para compartilharmos a mensagem com outros. E se não o fizermos, não existe garantia de que as pessoas ouvirão a notícia de alguma outra maneira.

O apóstolo Paulo explicou de maneira bem sucinta como é importante compartilhar o Evangelho com outros:

Pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho![4]

Outras versões de traduções dizem: “Pois me é imposta a necessidade” (Sociedade Bíblica Britânica), “É uma obrigação que se me impõe” (Bíblia Católica)

Nós recebemos o maior dom que existe. Descobrimos a pérola de grande valor. Nós temos o privilégio de entrar no reino dos céus. Multidões, quer percebam, quer não, procuram aquilo que já temos. Como resultado do amor e da misericórdia de Deus, nós temos o privilégio de conhecer a verdade, o propósito e o sentido da vida. Nós nos conectamos a Deus e nos foi concedida a vida eterna. Outros buscam respostas e um propósito, o que Deus, no Seu amor, quer lhes dar. 

As pessoas precisam da água vivificadora de Deus, uma água que flui como um rio do nosso íntimo.[5] É muito triste, é uma grande pena quando nós, que somos ricamente abençoados, não compartilhamos com os que precisam desesperadamente, e ignoramos as instruções dadas por Jesus para transmitirmos as boas novas.

O fundador de AFI, David Berg, tinha paixão por transmitir a mensagem do amor e da salvação em Deus. Ele frequentemente expressava que o Senhor convocou todos os cristãos para darem testemunho. Mesmo a maioria de nós não sendo missionário em tempo integral, temos o dever de compartilhar o Evangelho com outros. Eu me sinto sob forte convicção quando leio algumas coisas que ele falou sobre a necessidade da salvação e o nosso dever como cristãos, de compartilhar as boas novas com os outros.

David escreveu:

Independentemente de nacionalidade, país, cor ou crença, o coração do ser humano é o mesmo no mundo inteiro, com as mesmas angústias, os mesmos pecados, dores e medo da morte. Seus anelos, amores e fome por Deus e pela Sua verdade, por alegria, felicidade e paz de espírito foram criados por Deus e iguais nas pessoas no mundo todo.

Apesar de muitas pessoas estarem em busca de amor verdadeiro, raramente, se é que alguma vez, o encontram. Pois nunca existe um número suficiente do povo de Deus disposto a mostrar aos outros o Seu amor verdadeiro.

Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura”, não é uma opção, é um mandamento. A mensagem é inequívoca. Não há como negar ou justificarmos o não cumprimento dessa ordem.

[Testemunhar] não é apenas algo agradável que se faz quando tem vontade ou tem tempo, mas é uma incumbência e responsabilidade que foi dada por Deus a todos os que são verdadeiramente Seus filhos.

Como Jesus disse: "A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos. Peçam, pois, ao Senhor da seara que envie trabalhadores para a sua seara".[6] É uma seara imensa com uma grande quantidade de pessoas congeladas e famintas que vagam pelas trevas sem Deus.[7]

Nós temos o privilégio de termos sido chamados das trevas para a maravilhosa luz de Deus,[8] e nós temos a obrigação de fazer o que podemos, quando podemos, para ajudar outros a se conectarem a Deus por meio de Jesus.

Como nós somos muito ocupados, sem dúvida é difícil fazer isso, arranjar ou fazer tempo para isso. Eu estou salvo porque Chuck tomou tempo comigo. Você está salvo porque alguém dedicou tempo e se empenhou em compartilhar o Evangelho com você, alguém que provavelmente também achou que não tinha tempo. Jesus Se sacrificou na cruz por você, e um outro cristão sacrificou seu tempo e forças para conectá-lo a Ele. Como já foi dito, só Cristo pode salvar o mundo, mas Ele não pode salvar o mundo sozinho. Alguém tem que falar com as pessoas sobre Jesus e a salvação, e quando Deus coloca alguém no seu caminho, esse alguém é você.

Quando, onde, como e com quem vamos compartilhar a mensagem vai depender de cada situação. Mas se realmente reconhecermos o profundo amor e interesse de Deus por cada pessoa, e vermos que Jesus deu a Sua vida para que possam ter a vida eterna, isso certamente deveria nos motivar a falar com aqueles que o Senhor coloca no nosso caminho, mesmo sendo inconveniente, difícil, custoso ou humilhante.

O Salvador das nossas almas nos encaminha no sentido de apresentar a outros a oportunidade de conhecê-lO, para tomarem conhecimento da grandiosa dádiva que nos foi concedida para compartilhar com os que ainda não ouviram as boas notas. Estaremos nós dispostos a fazer o que nos é pedido? Nós oramos pelas almas e depois agimos com base nessas orações? Nós oramos por ceifeiros que vão compartilhar a mensagem com outros e estamos dispostos a ser esses ceifeiros? Nós oramos para o Senhor colocar no nosso caminho aqueles que estão buscando? Nós pedimos ao Espírito Santo para nos guiar aos que vão responder ao amor de Deus? Estamos dispostos a investir tempo, esforço, reflexão, oração e ação para cumprirmos a incumbência recebida de Jesus? Quando estamos diante de alguém que precisa da vida eternal, nós tomamos a frente e compartilhamos a mensagem com essa pessoa?

Se estamos compromissados a cumprir a incumbência recebida, é isso o que faremos. Se percebermos o efeito eterno que terá na vida e no futuro da pessoa, é o que faremos. Se desejamos ser como Jesus, então é o que faremos. Se amamos o próximo como a nós mesmos, como Jesus nos ensinou, então nos sentiremos motivados a falar com as pessoas do profundo amor de Deus por elas e lhes mostrar como podem entrar no reino dos céus por meio da fé em Jesus, Seu Filho.

Então, vamos divulgar a notícia.


[1] Romanos 10:13–14 NVI.

[2] João 20:21 NVI.

[3] João 15:16 NVI.

[4] 1 Coríntios 9:16 NVI.

[5] “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva". João 7:38 NVI.

[6] Mateus 9:37–8 NVI.

[7] Estes cinco parágrafos (6–7, 1, 3, 8) são do texto Testemunhar, No.344, de maio de 1975.

[8] “Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.” 1 Pedro 2:9 NVI.

Tradução Hebe Rondon Flandoli. Revisão Edson Campos.

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies