Mais como Jesus: Alegria (1ª Parte)

Por Peter Amsterdam

Março 28, 2017

[More Like Jesus: Joy (Part 1)]

A alegria desempenha um papel importante em nossos esforços para modelarmos nossas vidas em Jesus e Seus ensinamentos. Apesar de Jesus ter Se referido de forma específica à alegria duas vezes nos Evangelhos,[1] ela permeava os acontecimentos de Sua vida e doutrina. Encontramos também menções e exemplos de alegria em ambos os Testamentos.

Existem sete palavras gregas usadas no Novo Testamento que se referem a gozo intenso, alegria e regozijo. As duas mais usadas são chairō (alegrai-vos) e chara (alegria), as quais aparecem 72 vezes nos Evangelhos e 101 vezes em outras partes do Novo Testamento. A extensão do uso do termo indica a importância da alegria na vida do cristão.

Na noite anterior à Sua crucificação, Jesus disse aos Seus discípulos:

Tenho-vos dito isto para que a minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa.[2]

Os crentes têm o privilégio de participar de Sua alegria. A apóstolo Paulo escreveu:

Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz na vossa crença, para que abundeis na esperança pelo poder do Espírito Santo.[3]

Aprendemos que o reino de Deus é justiça, paz e alegria no Espírito Santo, elementos que devem estar presentes em nosso serviço a Ele, para que sejamos aceitáveis a Deus.[4] Na lista de frutos do Espírito, a alegria vem logo após o amor:

Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio…[5]

A alegria é obviamente para uma vida espelhada em Cristo. Mas exatamente, de que alegria falam as Escrituras?

De um modo geral, alegria e felicidade são palavras consideradas sinônimas. Entretanto, os termos em grego usados no Novo Testamento traduzidos para alegria e felicidade não têm significados tão próximos. As palavras que expressam o conceito de felicidade não aparecem com tanta frequência no Novo Testamento. Um autor explica:

A maioria dos estudiosos do cristianismo parece entender que, no Novo Testamento, alegria era mais do que um sentimento de felicidade ou um júbilo extravasante, apesar de que a expressão pode ter esse significado também. O sentido da expressão, contudo, parece se referir a algo mais profundo, de difícil definição, mas muito real. A alegria não parece estar relacionada necessariamente a riso, descontração, dança e canção (pelo menos não neste mundo), mas à fé e a um estado de espírito caracterizado principalmente pela paz. A alegria nas Escrituras é uma atitude em relação à vida que entende e aceita o mundo com serenidade, com o olhar confiante de uma vida enraizada na fé, na percepção clara e na confiança no Deus soberano que Se revelou em Jesus Cristo, na Sua morte e na Sua ressurreição.[6]

Os cristãos podem ter essa serenidade, esse olhar confiante de uma vida enraizada na fé e a percepção clara e na confiança no Deus soberano. Qual é a base para essa alegria? Ela tem origem na salvação, no fato de nossos nomes estarem escritos no Céu. Quando os 70 discípulos voltaram com alegria de suas missões às quais foram por Jesus enviados de dois a dois, comemoravam: “Senhor, pelo Teu nome, até os demônios se nos submetem.”[7] Temos alegria e nos regozijamos porque temos a esperança de uma herança eterna.

Segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, incontaminável e imarcescível, guardada nos céus para vós … Nisto vos exultais …[8]

Podemos nos alegrar porque vemos longe, certos de que apesar das dificuldades e percalços nesta vida, viveremos com Deus para sempre. Em Jesus encontramos um exemplo de olhar além das provações desta vida para o que a eternidade reserva, o qual pelo gozo que lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus.[9]

A alegria brota da nossa salvação.

Saudaremos a Tua vitória com gritos de alegria e ergueremos as nossas bandeiras.[10]

Confio no Teu constante amor; na Tua salvação meu coração se alegra.[11]

A minha alma se alegrará no Senhor, e se alegrará na Sua salvação.[12]

Este é o Senhor, nEle confiamos; na Sua salvação exultemos, e nos alegremos.[13]

Eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.[14]

Folguem e alegrem-se em Ti os que Te buscam; digam constantemente os que amam a Tua salvação: “Engrandecido seja o Senhor!”[15]

Temos alegria por causa da presença de Deus em nossas vidas.

Tu me farás ver a vereda da vida; na Tua presença me encherás de alegria[16]

Quando lemos sobre a presença de Deus encarnado —Jesus, Filho de Deus, que veio para a Terra — encontramos uma narrativa repleta de alegria. Quando Isabel ouviu a voz de Maria, a criança em seu ventre, João Batista, pulou de alegria;[17] na noite em que Jesus nasceu, o anjo apareceu aos pastores anunciando a chegada do Senhor e proclamou Eu vos trago novas de grande alegria, que o será para todo o povo;[18] e quando os sábios viram a estrela, alegraram-se imensamente.[19] A presença de Deus traz alegria para os que nEle creem.

A presença de Deus se torna parte de nossas vidas na medida que nos enchemos com o Espírito Santo, o qual as Escrituras relacionam à alegria.

Os discípulos estavam cheios de alegria e do Espírito Santo.[20]

O fruto do Espírito é: amor, gozo…[21]

Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz na vossa crença, para que abundeis na esperança pelo poder do Espírito Santo.[22]

E vós vos tornastes nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo…[23]

A Palavra de Deus produz alegria em nossas vidas.

Os Teus estatutos são a minha herança para sempre; são o gozo do meu coração.[24]

Os preceitos do Senhor são retos, e alegram o coração…[25]

Alegro-me nas Tuas promessas, como aquele que acha grande despojo.[26]

Achadas as Tuas palavras, logo as comi; elas me foram gozo e alegria ao coração…[27]

A adoração e o louvor do Senhor produzem alegria em nós.

Os meus lábios exultarão quando eu cantar os Teus louvores, assim como a minha alma, que Tu remiste.[28]

Lembro-me destas coisas enquanto dentro em mim derramo a minha alma: de como eu ia com a multidão, guiando a procissão à casa de Deus, com gritos de alegria, e louvor entre a multidão festiva.[29]

Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da terra. Servi ao Senhor com alegria; apresentai-vos a Ele com canto![30]

Então eles O adoraram e voltaram com grande júbilo para Jerusalém.[31]

Somos instruídos a ter alegria no Senhor e que os crentes devem ser regozijar.

Alegrai-vos no Senhor, e regozijai-vos, vós, os justos; cantai alegremente todos vós que sois retos de coração![32]

O justo se alegra no Senhor, e nele se refugia; cantem louvores todos os retos de coração![33]

Alegrem-se os justos, e se regozijem na presença de Deus; folguem de alegria![34]

A esperança dos justos é alegria…[35]

A luz dos justos brilha intensamente.[36]

O justo canta e se regozija.[37]

Mesmo em tempos difíceis, somos incentivados a nos alegrarmos.

Transbordo de gozo em todas as nossas tribulações.[38]

Como entristecidos, porém, sempre alegres…[39]

[Falando das igrejas na Macedônia:] E agora, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus dada às igrejas da Macedônia. Em muita prova de tribulação houve abundância do seu gozo, e a sua profunda pobreza transbordou em riquezas da sua generosidade.[40]

“A Minha graça te basta, pois o Meu poder se aperfeiçoa na fraqueza”. Portanto, de boa vontade me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo.[41]

A certeza de que os tempos difíceis que hoje enfrentamos um dia passarão nos dá um antegosto do céu, onde não haverá mais angústias, sofrimentos, dores ou pesares.

Pois a Sua ira dura só um momento, mas no Seu favor está a vida; o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.[42]

Tornaste o meu pranto em folguedo; tiraste o meu cilício e me cingiste de alegria, para que a minha alma Te cante louvores, e não se cale. Senhor, Deus meu, eu Te louvarei para sempre![43]

Faze-me ouvir júbilo e alegria; regozijem-se os ossos que Tu quebraste.[44]

Os que semeiam com lágrimas, segarão com cânticos de alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará com cânticos de alegria, trazendo consigo os seus molhos.[45]

Os remidos do Senhor voltarão e entrarão em Sião com júbilo; alegria eterna coroará as suas cabeças. Gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido.[46]

Disse-lhes mais: “Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si. Este dia é consagrado ao nosso Senhor. Não vos entristeçais, pois a alegria do Senhor é a vossa força.”[47]

Por sermos crentes, podemos nos regozijar e nos enchermos com Sua alegria — a alegria por nossos nomes estarem escritos no Céu, por estarmos cheios com o Espírito de Deus, por vivermos em comunhão e convivência com nosso Criador e por contarmos com a Sua presença em nossas vidas, independentemente das vicissitudes. Isso não significa que sempre estaremos felizes, mas podemos nos manter firmes na rocha da alegria, quaisquer que sejam as circunstâncias. Somos um povo remido e abençoado que permanecerá com Deus para sempre.

Regozijai-vos sempre no Senhor. Outra vez digo, regozijai-vos.[48]

(Outros aspectos e aplicações da alegria serão tratados no próximo artigo.)


Nota

A menos que indicado o contrário, todas as referências às Escrituras foram extraídas da “Bíblia Sagrada” — Tradução de João Ferreira de Almeida — Edição Contemporânea, Copyright © 1990, por Editora Vida.


[1] Agora vou para junto de Ti, e isto digo enquanto estou no mundo, para que tenham em si a medida completa da Minha alegria (João 17:13).

Tenho-vos dito isto para que a Minha alegria esteja em vós, e a vossa alegria seja completa (João 15:11).

[2] João 15:11.

[3] Romanos 15:13.

[4] O reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo, porque quem nisto serve a Cristo, agradável é a Deus e aprovado pelos homens (Romanos 14:17–18).

[5] Gálatas 5:22–23 (NVI).

[6] R. P. Martin e P. H. Davids, eds., in Dictionary of the Later New Testament and Its Developments, edição eletrônica (Downers Grove, IL: InterVarsity Press, 1997), 600–605.

[7] Lucas 10:17, 20.

[8] 1 Pedro 1:3–6.

[9] Hebreus 12:2.

[10] Salmo 20:5 NVI.

[11] Salmo 13:5.

[12] Salmo 35:9.

[13] Isaías 25:9.

[14] Habacuque 3:18.

[15] Salmo 40:16.

[16] Salmo 16:11.

[17] Lucas 1:44.

[18] Lucas 2:10.

[19] Mateus 2:10.

[20] Atos 13:52.

[21] Gálatas 5:22.

[22] Romanos 15:13.

[23] 1 Tessalonicenses 1:6.

[24] Salmo 119:111.

[25] Salmo 19:8.

[26] Salmo 119:162.

[27] Jeremias 15:16.

[28] Salmo 71:23.

[29] Salmo 42:4.

[30] Salmo 100:1–2.

[31] Lucas 24:52.

[32] Salmo 32:11.

[33] Salmo 64:10.

[34] Salmo 68:3.

[35] Provérbios 10:28.

[36] Provérbios 13:9.

[37] Provérbios 29:6.

[38] 2 Coríntios 7:4.

[39] 2 Coríntios 6:10.

[40] 2 Coríntios 8:1–2.

[41] 2 Coríntios 12:9–10.

[42] Salmo 30:5.

[43] Salmo 30:11–12.

[44] Salmo 51:8.

[45] Salmo 126:5–6.

[46] Isaías 35:10.

[47] Neemias 8:10.

[48] Filipenses 4:4.

 

Copyright © 2023 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies