O Fator Espinho

Por Maria Fontaine

Fevereiro 20, 2011

Na minha opinião, Deus não pretendia que nenhum casamento fosse perfeito. Chamo isso de “o fator espinho” que Ele permite na equação, ou seja, um elemento do qual queremos nos esquivar, mas que Ele sabe que precisamos. Você talvez se pergunte: “Qual a vantagem de ter divergências de opinião, melindrice, mal entendidos, ciúmes, ressentimentos, comparação, sacrifícios, discussões, conflitos emocionais, temores, mágoas e adversidades? Não parecem ser o tipo de coisas que fortaleceriam uma união conjugal.”

Faz-me lembrar de uma frase bem conhecida, “O que conta é a sua atitude”. É ponto pacífico que as dificuldades burilam o caráter e nos dão profundidade moral. Sem as vicissitudes naturais da vida não se aprende a exercitar virtudes como paciência, compreensão, perdão, e outras que nos tornam pessoas melhores.

Mal entendidos, divergências, mágoas, e até mesmo os erros exigem de nós uma resposta. Podemos optar por nos expandirmos, nos tornarmos pessoas  melhores, buscarmos o Senhor para termos mais do Seu amor, perdoar e tomar uma decisão consciente de aprender o que for possível com a situação. O casamento oferece muitas dessas oportunidades.

O que conta é a maneira como reagimos às circunstâncias que surgem em nossa vida, o que fazemos com elas. Podemos aprender com as dificuldades e nos tornarmos pessoas melhores ou nos endurecermos. Podemos ficar mais humildes ou orgulhosos. Podemos desenvolver nossa criatividade para a resolução de problemas ou cair no desespero. Podemos ficar fervorosos para nos tornarmos o que deveríamos ser e termos condições de lidar com as dificuldades, ou nos tornarmos pessoas acusadoras e críticas. Podemos ficar mais determinados a “lutar com o anjo” até recebermos a bênção, ou sermos tentados a desistir quando as coisas ficarem difíceis. Qual vai ser a nossa reação?

Mesmo quando fazemos o melhor possível e aprendemos, crescemos e amadurecemos, sempre enfrentaremos outros desafios mais adiante, pois assim Deus fez a vida. Depois de superarmos uma dificuldade prosseguimos para outra. Mas cada vitória é um passo para a frente. Cada vitória é gratificante; cada uma nos leva mais adiante na estrada do progresso.

Mas e quando não conseguimos superar e parece que estamos destinados a passar o resto da vida frustrados com algo? Se fizemos tudo ao nosso alcance e oramos o máximo possível, a palavra de Deus diz que não somos um fracasso e nem tudo está perdido. “E havendo feito tudo, estai firmes.”[1] Devemos então deixar o Senhor guiar os nossos corações na paciência de Cristo (2 Tessaloniceneses 3:5).

O Senhor bem sabe que esses aspectos difíceis da vida de alguma forma nos fazem mais bem do que se fosse tudo tranquilo. Podemos avaliar a situação com nosso Marido celestial para Ele nos mostrar o que pensa e qual deveria ser a nossa perspectiva. Deveríamos deixá-lO nos mostrar as vantagens do nosso relacionamento conjugal, quer seja tranquilo quer atribulado. E então O louvarmos pela nossa vida, pelos obstáculos e dificuldades, bem como pelas experiências agradáveis e tranquilas.

Se nos comunicarmos com o Senhor sobre o nosso relacionamento, Ele nos motivará a melhorar onde for preciso, nos elogiará por aquilo que estamos fazendo certo, e nos ajudará a manter a Sua chama de amor ardendo em nosso relacionamento. Ele nos ama muito, e com o apoio do Seu poder teremos forças e a graça para enfrentarmos o próximo desafio.


[1] Efésios 6:13.

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies