Jesus — Sua Vida e Mensagem: As Declarações “Eu Sou”

Por Peter Amsterdam

Março 27, 2018

A Ressurreição e a Vida

[Jesus—His Life and Message: The “I Am” Sayings: The Resurrection and the Life]

Logo antes de Jesus ressuscitar Lázaro,[1] disse à Marta, irmã do falecido:

“Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim, nunca morrerá.”[2]

Foi a terceira vez que Jesus fez uma declaração “Eu Sou”, ao realizar um milagre. Nas vezes anteriores, disse Eu sou o pão da vida[3] depois de alimentar cinco milhares de pessoas e Eu sou a luz do mundo,[4] ao curar um cego de nascença. Desta vez, antes de trazer um homem de volta à vida, Jesus declarou: Eu sou a Ressurreição e a Vida.

Nos casos de ressurreição como os de Lázaro, do homem que estava sendo carregado para fora da cidade em um cortejo fúnebre[5] e da filha do dirigente da sinagoga,[6] Jesus demonstrou ter o poder sobre a própria morte. Este poder foi novamente demonstrado quando Jesus ressurgiu dos mortos, três dias após ser brutalmente torturado e pendurado em uma cruz até morrer. Sua ressurreição provou que Ele era o Filho de Deus.

Ele foi declarado Filho de Deus com poder, segundo o Espírito de santidade, pela ressurreição dos mortos.[7]

Sua morte abnegada e Sua ressurreição abriram caminho para os que creem nEle também ressuscitarem e viverem eternamente. Jesus foi o primeiro a morrer, ressuscitar e não voltar a morrer, pelo que o apóstolo Paulo disse que Ele se tornou as primícias dos que dormem.[8]

De certa forma, os crentes passam por duas ressureições. A primeira é espiritual e acontece no ato da salvação; a segunda, física, se dará quando Jesus voltar e nossos corpos se reunirem aos nossos espíritos. O conceito de salvação enquanto ressurreição espiritual se encontra na Epístola aos Efésios, na qual Paulo escreve:

Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados nos quais costumavam viver.[9]

Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida com Cristo… Deus nos ressuscitou com Cristo e com ele nos fez assentar nas regiões celestiais em Cristo Jesus.[10]

Quando vocês estavam mortos em pecados e na incircuncisão da sua carne, Deus os vivificou com Cristo.[11]

Enquanto pecadores não salvos, estávamos espiritualmente mortos, mas a salvação nos ressuscitou espiritualmente. Embora mais cedo ou mais morreremos fisicamente, nosso espírito permanecerá plenamente consciente, pois permanece na presença do Senhor até à volta de Jesus. Quando Ele voltar, nossos espíritos se unirão aos nossos corpos ressuscitados, os quais serão transformados, a exemplo do que aconteceu ao corpo de Jesus em Sua ressurreição.

Ao dizer “Eu sou a ressurreição”, Jesus afirmou ter o poder para ressuscitar. Em uma passagem anterior, no Evangelho segundo João, Ele declarou:

Pois a vontade do meu Pai é que todo aquele que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.[12]

Acreditamos nisso porque Ele derrotou a morte e ressurgiu triunfantemente. Assim como Ele, viveremos eternamente.

Além de declarar que Ele era a ressurreição, Jesus também disse que Ele era a vida, e que tinha o poder de conceder a vida e a morte. Essa autoridade foi dada a Ele pelo Pai:

Assim como o Pai tem a vida em si mesmo, assim também concedeu ao Filho ter a vida em si mesmo.[13]

Jesus respondeu-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma; ele só pode fazer o que vê o Pai fazendo, porque tudo o que o Pai faz, o Filho o faz igualmente… Pois assim como o Pai ressuscita e vivifica os mortos, assim também o Filho vivifica aqueles a quem quer.[14]

Nas palavras introdutórias e em toda a extensão do Evangelho segundo João, lemos que Jesus tem a vida:

Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.[15]

Pois o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.[16]

Eu lhes dou a vida eterna, e jamais perecerão; ninguém poderá arrebatá-las da minha mão.[17]

Por ter em si a vida, Jesus tem poder para ressuscitar todos que nEle creem. Como Jesus é a vida, a morte não tem o poder final sobre Ele. E aqueles que nEle creem, aos quais Ele concede a vida espiritual, também participam em Sua vitória sobre a morte.

E o testemunho é este: Deus nos deu a vida eterna, e esta vida está em seu Filho. Quem tem o Filho tem a vida.[18]

Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; e todo aquele que vive e crê em mim, nunca morrerá.[19]

Quando morremos, deixamos esta vida terrena e nossa pessoa exterior morre; mas nosso espírito, a pessoa interna, continua eternamente viva. Em adição, mais uma vez nos reuniremos ao nosso corpo físico, quando houver a ressurreição.

A morte é resultado do pecado.

Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.[20]

[O] desejo, tendo concebido, dá à luz o pecado, e o pecado, após ter se consumado, gera a morte.[21]

O salário do pecado é a morte.[22]

A morte física, que põe fim à vida física e separa as pessoas daqueles que amam, reflete a morte espiritual que acontece quando as pessoas são separadas de Deus por conta do pecado.

Entretanto, Jesus carregou nossos pecados quando sofreu e morreu na cruz e, então, venceu a morte pela Sua ressurreição, de forma que a morte foi derrotada. Como nos unimos a Ele, também ressuscitaremos para vivermos eternamente com Ele.

Todo aquele que o Pai me dá virá a mim, e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Pois eu desci do céu não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. E esta é a vontade daquele que me enviou, que eu não perca nenhum de todos os que ele me deu, mas o ressuscite no último dia.[23]

É difícil imaginar qualquer poder maior do que o que é capaz de fazer com que alguém volte dos mortos — o poder para trazer de volta o espírito dos que morreram e reuni-los aos seus respectivos corpos. Entretanto, isso é exatamente o que acontecerá aos cristãos quando Jesus retornar triunfante.

Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados. Pois a trombeta soará, e os mortos ressurgirão incorruptíveis, e nós seremos transformados.[24]

Pois o mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.[25]

Ressuscitaremos porque Ele ressuscitou! É o que celebramos na Páscoa. Ele é a Ressurreição e a Vida, e se nEle cremos, mesmo se morrermos viveremos e jamais morreremos.


[1] Para conhecer o contexto da ressurreição de Lázaro, veja Jesus — Sua Vida e Mensagem: Milagres: Ressuscitando os Mortos, Parte três e Parte quatro.

[2] João 11:25–26.

[3] João 6:35.

[4] João 8:12.

[5] Lucas 7:11–15.

[6] Lucas 8:49–56.

[7] Romanos 1:4.

[8] 1 Coríntios 15:20.

[9] Efésios 2:1–2 NVI

[10] Efésios 2:4–6.

[11] Colossenses 2:13.

[12] João 6:40.

[13] João 5:26.

[14] João 5:19, 21.

[15] João 1:4.

[16] João 6:33.

[17] João 10:28.

[18] 1 João 5:11–12.

[19] João 11:25–26.

[20] Romanos 5:12.

[21] Tiago 1:15 NVI.

[22] Romanos 6:23.

[23] João 6:37–39.

[24] 1 Coríntios 15:51–52.

[25] 1 Tessalonicenses 4:16–18.

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies