Análise do Equilíbrio da Vida, 1ª Parte: Tempo com o Senhor

Por Peter Amsterdam

Agosto 20, 2019

[Life Balance Check, Part 1: Time with the Lord]

Todos sabemos que o tempo gasto com o Senhor é de suma importância, mas como estamos tão familiarizados com os conceitos de “tempo da Palavra”, “devoções” e “tempo de oração”, infelizmente eles podem se tornar clichê. Por causa dessa familiaridade é ainda mais importante realizar uma autoavaliação e averiguar como você está cuidando da sua saúde espiritual. Se alcançar um equilíbrio de vida holístico parecer bom para você, o tempo com o Senhor é fundamental.

Você está convidado

A Bíblia diz: “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós.” Tiago 4:8 ECA

Deus está disponível. Ele está nos esperando para dar o passo para se aproximar dEle. O convite está feito, mas a questão é: vamos aceitá-lo? Considere esta história:

Contando sobre o telefonema do presidente para tomar café da manhã na Casa Branca, Jean Fleming descreveu sua descrença e admiração pela honra concedida. Ela então traçou um paralelo entre como ela reagiria se tal convite fosse feito e o que poderia acontecer se os indivíduos considerassem o mandato bíblico de passar um tempo a sós com Deus diariamente.

“Todos recebemos um convite do rei do universo para encontrá-lO todas as manhãs antes do café da manhã”, disse ela. “O Senhor disse: 'Quero me encontrar com você e lhe dizer o que estou pensando, quais são Meus planos e Minhas intenções. Quero ouvir suas preocupações para poder trazer os recursos do céu. Então vamos tomar café juntos.”

As pessoas que não se valem da comunicação com Deus perdem o “pacote completo” do que Deus pretendia, disse Fleming.[1]

Não quero perder o “pacote completo” do que Deus pretendia e tenho certeza que você também não. Por isso é importante irmos ao Senhor para avaliar nosso tempo com Ele. Podemos precisar de um foco específico em momentos diferentes, seja em nossa vida de oração, alimentação espiritual ou momentos de meditação. Isso pode mudar de mês para mês. O Senhor sabe o que está entrando em nossas vidas e precisamos consultá-lO regularmente. De fato, o mesmo se aplica em todos esses pontos de equilíbrio da vida. Como vivenciamos mudanças ao longo da vida, não podemos esperar descobrir o que precisamos em termos de nossa vida espiritual e tempo com o Senhor uma vez e depois manter esse plano indefinidamente. A vida é tão fluida, as coisas estão sempre mudando; diferentes questões surgem em nossas vidas, e temos que nos ajustar para conseguirmos administrar da melhor maneira possível.

Algo que pode mudar com o tempo para cada um de nós é o modo como recebemos a alimentação espiritual de que precisamos. Às vezes, nossas necessidades são atendidas em comunidade, enquanto frequentamos uma igreja ou passamos um tempo com um grupo de crentes ou um grupo de oração. Em outras vezes, pode ser pela comunhão pessoal com o Senhor na quietude da oração, e comunhão com Ele e ouvindo-O em profecia. Talvez estejamos acompanhando um determinado podcast ou um pastor, lendo um livro devocional específico ou ouvindo uma leitura em áudio da Bíblia. O ponto é que nossas necessidades mudam, e é preciso entender isso e fazer os ajustes necessários.

Algumas perguntas que devemos nos fazer:

Se você pensar profundamente sobre essas coisas, acredito que, como resultado, desejar a se aproximar do Senhor e reservar um tempo para orar e ler a Palavra ou escritos devocionais, porque você sabe que sem Ele você não pode fazer nada. Também terá tempo para fazer um balanço de sua vida e avaliar seus níveis de obediência e garantir que você não esteja deixando o pecado em sua vida passar despercebido ou não ser reconhecido.

Percepção do tempo

Muitas vezes, falamos sobre o tempo. Pode ser uma luta encontrar o tempo necessário para fazer tudo o que há para fazer. No entanto, pode ser que precisemos mudar radicalmente nossa percepção do tempo e nossa relação com o tempo. A seguinte citação me convenceu e fez-me refletir sobre minha noção de tempo, já que muitas vezes sinto que não tenho tempo suficiente.

No livro clássico de Jonathan Swift, As Viagens de Gulliver, quando Gulliver chega em Lilliput, os nativos veem seu relógio de bolso e concluem que deve ser o deus de Gulliver. Afinal, Gulliver disse-lhes que nunca fez nada sem antes o consultar.

O relógio é seu deus? Acredito que provavelmente não há outra parte de nossas vidas tão completamente cooptada por uma cosmovisão secular quanto a nossa noção de tempo. Dizemos que o tempo é uma dádiva de Deus, mas na maioria das vezes tratamos o tempo como um porrete e não como uma dádiva, algo que perseguimos e, uma vez que o pegamos, ele nos golpeia. É uma noção de tempo contrária a uma visão de mundo cristã.

Como acreditamos na providência de Deus, podemos afirmar que temos tempo suficiente e então podemos receber [cada] dia como uma dádiva.

Oração e meditação na Palavra de Deus devem ser incorporadas em nossos cronogramas. Manter Deus e Sua Palavra na vanguarda de nossas mentes nos ajuda a desenvolver o conceito bíblico do tempo.

Da próxima vez que você olhar para o relógio, pare  um momento para lembrar quem é o seu Deus e como Ele providencialmente lhe deu todo o tempo que você precisa.[2]

A vida não é fácil

Às vezes, sinto a presença do Senhor em minha vida e me sinto em paz. Isso é maravilhoso. Mas nem sempre é assim. Às vezes, todos experimentamos emoções negativas, medo, remorso, arrependimento, raiva ou amargura. Quando isso acontece, é fácil sentir-se deprimido e condenado, o que é um sentimento horrível. É claro que poderia ser um sinal de que precisamos de mais tempo com o Senhor em meditação e comunhão mais profundas. Também pode ser hora de fazer uma avaliação espiritual com mais atenção para perceber que esses sintomas podem indicar que algo não está indo bem em nossas vidas.

Por outro lado, a vida é dura. Vivemos em um mundo decadente e temos de lidar com muitas dificuldades. O seguinte conselho foi reconfortante para mim, pois me lembrou que é inevitável termos batalhas e dificuldades e que, às vezes, a vida é simplesmente difícil e, em vez de nos sentirmos desencorajados e condenados, podemos ver o que realmente é, e mergulhar em comunhão com o Senhor.

Nada o prepara para como o ministério pode drenar você emocionalmente, deixando-o com dor ou, pior ainda, sentindo-se entorpecido ou em desespero ou fervendo de raiva. É por isso que tantos bons homens e mulheres no ministério se afundaram em valas morais ou ainda foram soldados com sorrisos de plástico e almas queimadas. No ministério, muitas coisas podem minar suas emoções e força, sua alma e seu espírito, quase que diariamente. Então o que você pode fazer?

Não há uma solução rápida. Em vez disso, minha sobrevivência emocional depende de um modo de vida que me protege, fortalece e me reabastece emocionalmente. O investimento mais estratégico é o tempo com Deus. Mas não é qualquer momento com Deus, preciso ter tempo com Deus que me toque em um nível de coração e alma. Todos os dias, procuro passar algum tempo derramando meu coração e também recebendo o que vem do dEle. Poucas pessoas tiveram os altos e baixos emocionais de Davi e se você ler os Salmos com cuidado, verá que ele expressou suas emoções para Deus de uma maneira incrivelmente sincera. Aprender a orar como Davi tem sido saudável para mim.[3]

Não desanime

Uma coisa importante de avaliar em nossa vida espiritual e conexão com o Senhor é como estamos adorando e louvando, o quanto estamos vivendo em ação de graças. Se a nossa vida está indo bem ou se estamos em um momento de luta ou dificuldades, isso não deve mudar a nossa atitude de gratidão a Deus pela nossa salvação e a esperança que temos dentro de nós para o futuro e a vida maravilhosa que virá.

Todos temos momentos em que as coisas não estão indo bem, é fácil deixar que isso dite nosso nível de elogio ou gratidão. Mas as bênçãos da vida, do céu e da salvação permanecem iguais da mesma forma, quer estejamos doentes ou com boa saúde, quer estejamos em momentos de pobreza ou de riqueza, quer nossos filhos estejam mal ou bem. Sabemos que, como diz o ditado, “tudo ficará bem no final. Se não está tudo bem, não é o fim”, porque temos a esperança da nossa salvação em Cristo.

Por isso não desfalecemos. Ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Pois a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação. Portanto, nós não atentamos nas coisas que se veem, mas nas que não se veem. Pois as que se veem são temporais, e as que não se veem são eternas. 2 Coríntios 4:16–18 ECA

Pois estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir. Romanos 8:38 ECA

Uma sensação de admiração

Se nos concentrarmos em Deus, em tudo o que Ele é, em tudo o que faz e em Seu plano mestre, teremos um sentimento de admiração pelo Senhor e Sua presença em nossa vida. Como Mark Batterson escreveu em seu livro Primal:

Quando perdemos nosso senso de admiração, o que realmente perdemos é a nossa alma. Nossa falta de admiração é realmente falta de amor... Abraçando o que Deus faz por você é a melhor coisa que você pode fazer por ele.[4]

Mark defende que para voltar às “raízes primordiais” do cristianismo, uma dessas raízes é ter um “senso de admiração” o tempo todo. Isso se destacou para mim, já que não é algo em que pensamos todos os dias, pois muitas vezes nos atolamos nas minúcias dos problemas da vida. Mas quando você se eleva acima do que é temporário, que está aqui hoje e se foi amanhã, então pode viver admirado e maravilhado com Deus e toda a beleza que Ele criou ao seu redor, o milagre da vida e as pessoas bonitas que Ele colocou em sua vida, e seu plano final para o seu futuro.

Se tivermos esse sentimento de admiração, então tudo assume uma tonalidade mais brilhante de esperança. Se nos concentrarmos nas coisas certas, vivendo e andando de perto com Deus, podemos viver maravilhados e cheios de gratidão. Vamos abrir espaço para o Espírito Santo operar em nossas vidas, e isso será manifestado através dos frutos do Espírito e em plenitude de alegria e paz.


[1] Joni B. Hannigan, “NavPress author tells seminary women of honor to spend time alone with God,” Baptist Press, March 1, 2001.

[2] Mark Earley, “Worldview and the Clock,” BreakPoint, August 3, 2003.

[3] James Emery White, “Survival Skills: What you need to minister with your spirit intact,” Leadership Journal, July 27, 2009.

[4] Mark Batterson, Primal: A Quest for the Lost Soul of Christianity (Colorado Springs: Multnomah Books, 2009).

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies