A Essência de Tudo: O Espírito Santo

Agosto 27, 2013

por Peter Amsterdam

O gênero do Espírito Santo

No final da década de 1970 e no início da seguinte, nosso fundador, David Berg, apresentou o conceito no qual o Espírito Santo representa o aspecto feminino ou materno da Trindade. A base escritural para a proposta foi tomada de Gênesis 1:26–27[1] e Provérbios 8:12–31.[2]

A Declaração de Crenças da Família Internacional reflete da seguinte forma este entendimento:

“Acreditamos que os elementos femininos e maternais da Trindade de Deus são manifestos no Espírito Santo, que conforta e instrui os que creem.”

Nas palavras de David

Em seus escritos, David sumarizou a ideia da seguinte maneira:

Outro fato espantoso que surpreende muitas pessoas é que [pode-se deduzir pela leitura das Escrituras] o Espírito Santo é representado como uma mulher; — Como o consolador Espírito de amor, a figura materna da Trindade. No primeiro capítulo do primeiro livro da Bíblia, Gênesis 1, na história da Criação, lemos: “Então disse Deus: ‘Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastam sobre a terra. Assim Deus criou o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou’” — Gênesis 1:26,27

Vemos aqui Deus Pai obviamente conversando com alguém sobre fazer o homem à “Nossa” imagem, à “Nossa” semelhança. Depois, para esclarecer qual é a “Nossa” imagem e semelhança, diz “macho e fêmea os criou”.

A representação feminina do Espírito Santo está também no Livro de Provérbios, na Bíblia, onde o Espírito de Deus é representado pela “sabedoria”: “Não clama a sabedoria, e o entendimento não faz soar a sua voz? Está clamando: ‘A vós, ó homens, clamo; a minha voz se dirige aos filhos dos homens. Ouvi, pois proferirei coisas excelentes; os meus lábios se abrirão para a equidade. A minha boca proferirá a verdade! O Senhor me possuiu no princípio de Seus caminhos, antes de suas obras mais antigas. Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da Terra. Eu estava lá quando Ele preparou os céus; quando compôs os fundamentos da terra. Então eu estava com Ele. Eu era cada dia as Suas delícias, folgando perante Ele em todo o tempo.’” — Provérbios 8.

É claro que, tal como o Próprio Deus, o Espírito Santo é justamente isso — um Espírito. Nessas passagens apenas é representado ou retratado como tendo uma forma corpórea, uma forma feminina, sendo a figura materna da Trindade, da mesma forma que Deus é representado como sendo a figura paterna. Isso não quer dizer que Deus tenha a aparência que a maioria dos artistas Lhe dá: um cavalheiro idoso com uma linda barba branca e cabelos grisalhos. Nem quer dizer que o Espírito Santo seja realmente uma mulher. São meros retratos, representações ou ilustrações para ajudar as nossas mentes infantis e limitadas a compreender um pouco melhor e personificar o nosso Pai Celestial e o Seu precioso Espírito Santo de Amor.[3]

Se você não concorda com essa representação feminina do Espírito Santo, tudo bem. —Não é tão importante que você acredite que o Espírito Santo seja manifesto como um ser masculino, um ser feminino ou uma pomba. Não é uma doutrina de grande relevância para nós ou algo que insistimos as pessoas devam acreditar.[4]

Deus é Espírito

As Escrituras ensinam que Deus (o Pai, o Filho e o Espírito Santo) é espírito, o que significa que Ele não necessariamente tem um corpo e, portanto, não possui um gênero específico. Em outros versículos, Deus diz que Ele não é homem, ou seja, não é um ser material e, consequentemente, não é macho nem fêmea. (Ver “A natureza e personalidade de Deus: Deus é Espírito“ para mais informações sobre o tema.)

Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. [5]

Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa.[6]

Aquele que é a Glória de Israel não mente nem se arrepende; pois não é homem…[7]

Deus é Espírito. Não é humano. Não é macho nem fêmea. Como David explicou na citação acima: “o Espírito Santo é justamente isso — um Espírito, que apenas é representado ou retratado como tendo uma forma corpórea.”

Atributos femininos atribuídos a Deus

Apesar de na maior parte do tempo as Escrituras falarem de Deus como um ser masculino, usando termos que se referem a representações masculinas, tais como Pai, Rei, Marido, etc., há também versículos que retratam Deus em atividades femininas. Todas essas representações masculinas e femininas são metáforas ou antropomorfismos —expressões que atribuem características físicas, emocionais e experiências humanas, a Deus, para nos ajudar a entendê-lO e saber como Ele é. Esses termos ajudam a retratar Sua forma de ser. Entretanto, não devem ser interpretados como afirmações de que Deus seja macho ou fêmea, pois Ele não é um ou outros. Deus é Espírito.

É interessante, entretanto, que as Escrituras descrevam uma fêmea ou imagens femininas, ou atividades femininas ao se referirem a Deus. É importante lembrar que nos tempos do Antigo Testamento, Deus ainda era desconhecido enquanto Trindade formada por Pai, Filho, e Espírito Santo. Quando as imagens femininas foram atribuídas a Deus, os escritores não as atribuíam a uma das pessoas da Trindade, mas simplesmente a Deus. Desde a encarnação de Jesus, Deus Filho, e, após Sua ascensão, do Espírito Santo, um dos membros da Trindade, representar as qualidades femininas ou a participação em atividades femininas combina muito bem com as imagens femininas atribuídas a Deus.

Nas Escrituras, Deus é assemelhado a uma mulher em trabalho de parto, a uma mãe que amamenta e consola seus filhos, um Deus que deu à luz e protege Seu povo.

Por muito tempo me calei, estive em silêncio, e Me contive. Mas agora darei gritos como a que está de parto, arfando e arquejando.[8]

Assim como uma mãe consola seu filho, também Eu os consolarei; em Jerusalém vocês serão consolados.[9]

Olvidaste a Rocha que te gerou; e te esqueceste do Deus que te formou.[10]

Em Oseias 11, Deus é retratado como alguém envolvido em atividades habitualmente realizadas por uma mãe.

Fui Eu quem ensinou Efraim a andar … e Me inclinei para alimentá-los.[11]

Outro exemplo é o papel de Deus como parteiro, um trabalho exclusivo das mulheres nos tempos do Antigo Testamento.

Contudo, Tu me tiraste do ventre; Tu me preservaste, estando eu ainda aos seios de minha mãe. Sobre Ti fui lançado desde a madre; Tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe.[12]

Desde o ventre tenho confiado em Ti; Tu me tiraste das entranhas da minha mãe.[13]

Em conclusão

As Escrituras não dizem em nenhum lugar que o Espírito Santo seja uma fêmea, nem se pode esperar tal afirmação, pois o Espírito de Deus é Espírito e, portanto, não possui gênero. Contudo, o Antigo Testamento, escrito antes de se entender Deus como uma trindade (Pai, Filho, e Espírito Santo), fala de Deus de uma maneira que inclui exemplos de atividades e atributos maternais e femininos. À luz dos versículos bíblicos que falam que macho e fêmea foram criados à imagem de Deus;[14] da sabedoria sendo apresentada como uma forma feminina e relacionada à criação do Universo;[15] e a partir de outras referências antropomórficas femininas, é possível inferir que o conceito de os elementos femininos e maternais da Trindade de Deus se manifestam no Espírito Santo.

Como disse David:

Gosto de pensar no Espírito Santo como o Deus Mãe, sempre gentil e amorosa, atraindo, consolando, conquistando, acalmando e curando como fazem as mães. Essas características mais tipicamente associadas com a mulher do que com o homem. Por isso, a imagem feminina do Espírito Santo, retratada como sabedoria em Provérbios, é muito convincente![16]

Se começar a aceitar esse conceito de mãe e aplicá-lo ao relacionamento dEla com a Trindade, verá que se encaixa perfeitamente! Acho que dá uma ideia melhor da beleza e do maravilhoso ministério do Espírito Santo.[17]

Você não tem de acreditar nem receber isso. Para sua salvação, tudo que precisa é Jesus![18]

David disse acreditar que Deus lhe havia mostrado isso com respeito ao Espírito Santo representar os elementos femininos da Trindade. Apesar de isso não ser expresso na teologia cristã predominante, as Escrituras se referem, em algumas passagens, a Deus em termos de atributos femininos, o que até certo ponto endossa o conceito de o Espírito Santo reunir os aspectos femininos e maternos da Divindade Triúna.


[1] Então disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastam sobre a terra. Assim Deus criou o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou.

[2] Eu, a sabedoria, habito com a prudência; eu possuo conhecimento e discrição.

  13 O temor do Senhor é odiar o mal; odeio o orgulho, a arrogância, o mau caminho, e a boca perversa.

  14 Conselho e verdadeira sabedoria são meus; eu tenho entendimento e poder.

  15 Por mim reinam os reis, e os príncipes ordenam justiça.

  16 Por mim governam os príncipes e os nobres; sim, todos os juízes da terra.

  17 Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam, encontram.

  18 Riquezas e honra estão comigo, riquezas duráveis e justiça.

  19 Melhor é o meu fruto do que o ouro refinado; as minhas novidades melhores do que a prata escolhida.

  20 Ando no caminho da retidão, junto às veredas da justiça,

  21 para conceder bens permanentes aos que me amam, e encher os seus tesouros.

  22 O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos, antes de suas obras mais antigas.

  23 Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da terra.

  24 Antes de haver oceanos, fui gerada, e antes ainda de haver fontes carregadas de águas;

  25 antes que os montes fossem firmados, antes de haver outeiros, eu nasci,

  26 antes que ele fizesse a terra, ou os campos, ou sequer o princípio do pó do mundo.

  27 Eu estava lá quando ele preparou os céus; quando traçou o horizonte sobre a face do abismo,

  28 quando firmou as nuvens acima, quando fortificou as fontes do abismo,

  29 quando pôs ao mar o seu termo, para que as águas não desobedecessem à sua ordem, quando compôs os fundamentos da terra.

  30 Então eu estava com ele, e era seu arquiteto. Eu era cada dia as suas delícias, folgando perante ele em todo o tempo,

  31 folgando no seu mundo habitável, e achando as minhas delícias com os filhos dos homens.

[3] “Viaje para fora deste mundo,” Tesouros (1987), 638–39.

[4] “As Respostas dos Meninos de Deus” (1987).

[5] João 4:24.

[6] Números 23:19.

[7] 1 Samuel 15:29.

[8] Isaias 42:14.

[9] Isaias 66:13.

[10] Deuteronômio 32:18.

[11] Oseias 11:3–4 (NVI).

[12] Salmo 22:9–10.

[13] Salmo 71:6.

[14] Gênesis 1:26–27.

[15] Provérbios 8.

[16] A Deusa do Amor, nº723, 1978, par. 24–25.

[17] A Rainha dos Sonhos, O Espírito Santo, nº1304, 1982, par. 17.

[18] A Rainha dos Sonhos, Introdução da Edição Dupla, nº1300, 1982, par. 13.