Páscoa—Renovação, Regeneração, Recriação

Por Peter Amsterdam

Abril 5, 2012

O Domingo de Páscoa é o dia em que os cristãos celebram o acontecimento mais importante na história da humanidade —a ressurreição do Deus-homem, Jesus Cristo, que mudou para sempre o curso da humanidade! Foi o primeiro dia da nova criação de Deus. Vou explicar.

Deus criou todas as coisas, inclusive o homem e, ao terminar, olhou para tudo e viu que era “muito bom”.[1] Essa primeira versão foi alterada, entretanto, pela introdução do pecado. Desde que Adão escolheu contrariar a vontade de Deus, o pecado entrou no mundo que Deus havia criado, trazendo para a humanidade doenças, degradação e morte. Desde então, as pessoas passaram a voltar para o pó, de onde vieram.[2] Adão, o primeiro homem, trouxe o pecado e a morte para o mundo, e, a partir daí, a criação de Deus tem sofrido os efeitos do pecado.

Vamos saltar agora para o tempo da vida de Jesus na Terra. Deus, o Filho, a Palavra de Deus, veio para a humanidade na forma de uma criança, filho de Maria e Deus, sem um pai humano.[3] Ele era plenamente Deus e plenamente homem, o Deus-homem.[4] Sua missão era derrotar o pecado e a morte que haviam se tornado partes do ser humano por meio de Adão. Jesus viveu isento de pecado, foi condenado, executado como um criminoso, sepultado e, três dias depois, ressurgiu dos mortos! Foi ressuscitado!

Sua ressurreição foi a primeira fase da nova criação de Deus. O corpo de Jesus foi transformado e não estava mais sujeito aos efeitos da primeira criação, isto é, do pecado e da morte. Deus criou outro tipo de existência humana —um corpo humano ressurgido dos mortos e transformado pelo poder de Deus, que não era afetado pela morte, degradação e corrupção. Esse fenômeno, até então inédito na história da humanidade, voltará a acontecer com os que acreditam em Jesus, pois, na Sua volta, os que creem serão ressuscitados e receberão novos corpos ou, se estiverem vivos, serão transformados, num piscar de olhos. Isso marcará a segunda fase da nova criação.

Sabemos que, havendo Cristo ressurgido dentre os mortos, já não morre; a morte não mais tem domínio sobre Ele.[5]

Eis que vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados, num momento, num abrir e fechar de olhos, ao soar a última trombeta. Pois a trombeta soará, e os mortos ressurgirão incorruptíveis, e nós seremos transformados.[6]

O mesmo Senhor descerá do céu com grande brado, à voz do arcanjo, ao som da trombeta de Deus, e os que morreram em Cristo ressurgirão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor.[7]

O corpo ressurrecto de Jesus não sofria mais as dores da tortura que havia sofrido —Suas costas foram dilaceradas pelas chicotadas, Sua cabeça machucada pela coroa de espinhos, Suas mãos e pés perfurados. Ele não estava mais esgotado ou exausto por tudo que sofrera nos dias anteriores, mas estava vivo e feliz.

Seu corpo ressuscitado não era um espírito. Era físico, feito de carne e ossos, e Seus discípulos o puderam tocar. Ele lhes ensinou,[8] caminhou com eles,[9] cozinhou para eles[10] e comeu com eles.[11] Em determinada ocasião reuniu-se com 500 de Seus seguidores.[12] 40 dias após haver ressuscitado,[13] ascendeu fisicamente para o céu,[14] onde, em Seu novo corpo, senta à direita de Deus.[15]

[Os discípulos,] espantados e atemorizados, pensavam que viam um espírito. Ele, porém, lhes disse: "Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as Minhas mãos e os Meus pés. Sou Eu mesmo! Apalpai-Me e vede; um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que Eu tenho.”[16]

Na qualidade de cristãos e como parte da nova criação de Deus, podemos esperar com antecipação pelo momento em que, quando da volta de Cristo, Deus ressuscitará nossos corpos! Receberemos corpos ressurretos como o dEle. O apóstolo Paulo se refere à ressurreição fazendo analogia com uma semente da qual nasce uma planta completa. A planta é uma continuação da semente, mas não é a semente. Ele explica que esses novos corpos serão imperecíveis, ressuscitados em glória e poder. Serão corpos espirituais. Um corpo imperecível não envelhece, não adoece nem se cansa. Teremos corpos que permanecerão sempre jovens e saudáveis. Nossos corpos não terão as fraquezas que têm agora, mas todo o poder que o corpo humano foi criado para ter. Não serão afetados pelo pecado e pela natureza humana após o pecado, como é hoje, mas serão totalmente obedientes ao Espírito Santo e guiados por Ele, como um corpo espiritual. Wayne Grudem explica o fenômeno da seguinte forma: Nestes corpos ressuscitados veremos claramente a humanidade como Deus tencionou que fosse.[17]

Somos cidadãos do céu e estamos esperando ansiosamente o nosso Salvador, o Senhor Jesus Cristo, que virá de lá. Ele transformará o nosso corpo fraco e mortal e fará com que fique igual ao Seu próprio corpo glorioso, usando para isso o mesmo poder que Ele tem para dominar todas as coisas.[18]

Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, porque assim como é, O veremos.[19]

Mas alguém dirá: “Como ressurgirão os mortos? E com que corpo virão?” Insensato! O que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de qualquer outra semente. Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo.[20]

Assim também é a ressurreição dos mortos. Semeia-se o corpo em corrupção, é ressuscitado em incorrupção. Semeia-se em ignomínia, é ressuscitado em glória. Semeia-se em fraqueza, é ressuscitado em poder. Semeia-se corpo animal, é ressuscitado corpo espiritual. Se há corpo animal, há também corpo espiritual [...] E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.[21]

A nova criação de Deus não se conclui com a ressurreição dos nossos corpos, mas vai além. A terceira fase envolve também a renovação de toda a criação. Quando Adão pecou, Deus amaldiçoou o solo. O mundo deixou de se um lugar sublime, como consequência do pecado. Entretanto, como resultado da morte e ressurreição de Cristo, Sua vitória sobre o pecado e a morte, Deus renovará todo o mundo.

A própria criação será libertada do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.[22]

Vede, Eu crio novos céus e nova Terra. Não haverá lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão.[23]

Segundo a Sua promessa, aguardamos novos Céus e nova Terra, nos quais habita a justiça.[24]

Vi um novo Céu e uma nova Terra, pois já o primeiro Céu e a primeira Terra passaram.[25]

Quando Jesus morreu na cruz, como um criminoso, os judeus o viram como um messias fracassado, pois havia prometido um reino que não se materializara. Todavia, três dias depois, quando ressurgiu dos mortos, essa imagem mudou completamente. A verdade do seu messiado se tornou evidente para todos que a aceitaram. Ele completou Sua missão pela morte ao tomar sobre si nossos pecados e, com isso, reconciliou-nos com Deus. Essa missão requeria Sua morte, mas, uma vez concluída, Deus O ressuscitou dos mortos, mostrando ao mundo Sua aprovação ao que Jesus havia feito.

Achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Pelo que Deus o exaltou soberanamente, e Lhe deu um nome que é sobre todo o nome.[26]

Depois de mais 40 dias na Terra, Jesus ascendeu ao Céu para, dez dias mais tarde, introduzir uma nova dinâmica no mundo —o Espírito Santo. Até então, o Espírito Santo estava presente e se manifestava esporadicamente, como aconteceu, por exemplo, na criação[27] e quando dotava de poder algumas pessoas para que profetizassem,[28] com habilidades excepcionais[29] ou unção de liderança.[30] Contudo, o Espírito não estava disposto a todos os filhos de Deus.[31]

Depois da Sua ascensão, Jesus enviou “a promessa do Pai”, o Espírito Santo, para viver nos crentes, em cumprimento da profecia registrada no Livro de Joel.

Envio sobre vós a promessa de Meu Pai; mas ficai na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder.[32]

E, certa ocasião, estando comendo com eles [os discípulos], ordenou-lhes: “Não vos ausenteis de Jerusalém, mas esperai a promessa do Pai, a qual —disse Ele— de Mim ouvistes. Pois João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.”[33]

Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.[34]

Derramarei o Meu Espírito sobre toda a carne, e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. Até sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o Meu Espírito.[35]

Alguém que aceita Jesus como salvador, passa a fazer parte da nova criação, o que faz com que seja possível ao Espírito de Deus habitar nessa pessoa. A obra do Espírito Santo nas vidas dos crentes é a continuação da primeira fase da nova criação, que começou com a ressurreição de Jesus. O efeito da salvação e a presença do Espírito Santo em uma pessoa se expressam como renascimento, renovação e regeneração nas vidas dos crentes. O renascimento se refere a ser nascido do espírito, em contraste ao nascimento da carne. A renovação é uma mudança completa no crente para melhor. Regeneração é a produção de uma nova vida, consagrada a Deus, uma mudança radical da mente.[36]

Disse-lhes Pedro: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados. E recebereis o dom do Espírito Santo. A promessa diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe - a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar.”[37]

Em verdade, em verdade, te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, mas o que é nascido do Espírito é espírito.[38]

Quando apareceu a benignidade de Deus, nosso Salvador, e o Seu amor para com os homens, não por obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a Sua misericórdia, Ele nos salvou mediante a lavagem da regeneração e da renovação pelo Espírito Santo, que Ele derramou ricamente sobre nós, por meio de Jesus Cristo nosso Salvador.[39]

A ressurreição de Jesus, Sua ascensão ao Céu, o envio do Espírito Santo para viver nos crentes foi a primeira fase da nova criação. A segunda ocorrerá na volta do Cristo. A terceira se dará quando Deus criar o novo Céu e a nova Terra.

Então vi um novo Céu e uma nova Terra, pois já o primeiro Céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe. Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que de Deus descia do Céu, ataviada como uma noiva para o seu noivo. E ouvi uma grande voz, vinda do trono, que dizia: Agora o tabernáculo de Deus está com os homens. Deus habitará com eles, e eles serão o Seu povo, e o próprio Deus estará com eles, e será o seu Deus.[40]

Como parte da nova criação, o Espírito de Deus regularmente nos renova, nos muda e nos ajuda a nos revestir da mente de Cristo, na medida em que desenvolvemos e refletimos algumas características de Deus ao crescermos em amor, alegria, paz, paciência, bondade, fidelidade, gentileza e autocontrole. Conforme permitimos o Espírito Santo nos guiar, crescemos e amadurecemos em nossas vidas espirituais, somos renovados e nos tornamos mais como Cristo. É parte do processo da nova criação dentro de nós, pois somos gradualmente transformados pelo Espírito.

O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, pois lhe parecem loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem a tudo, e ele de ninguém é discernido. Pois “quem conheceu a mente do Senhor, para que o possa instruir?” Mas nós temos a mente de Cristo.[41]

O fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.[42]

O Senhor é o Espírito, e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. Mas todos nós, com o rosto descoberto, refletindo a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.[43]

A criação original foi alterada por causa da desobediência de Adão. Por meio dele, o pecado, a morte e todas as suas consequências passaram a afetar a humanidade e o mundo como o conhecemos. Pela obediência de Jesus, pela Sua morte e ressurreição, nós e toda a criação somos remidos; o processo da nova criação começou e culminará no novo Céu e na nova Terra. — E você é parte disso!

A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que também a própria criação será libertada do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Sabemos que toda a criação geme como se estivesse com dores de parto até agora. Não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.[44]

Assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na Sua vinda. Então virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver destruído todo domínio, e toda autoridade e todo poder. Pois convém que Ele reine até que haja posto a todos os inimigos debaixo dos Seus pés. Ora, o último inimigo que há de ser destruído é a morte.[45]

Celebrar a ressurreição de Jesus é celebrar a chamada “novidade de vida”. A Páscoa é a celebração de um dos mais importantes credos da nossa fé. Celebramos o processo da nova criação de Deus que está em andamento, enquanto aguardamos sua culminação.

Como Cristo ressurgiu dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.[46]

Se Cristo não ressurgiu, logo é vã a nossa pregação, e também é vã a vossa fé [...] E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados […] Mas de fato Cristo ressurgiu dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Pois assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem.[47]

Temos muito a celebrar! —O Espírito Santo de Deus vive em nós para nos ajudar, nos guiar e nos renovar. Somos parte da Sua nova criação. Viveremos eternamente em nossos novos corpos, gozando de perfeita saúde e livres dos efeitos do envelhecimento, de doenças ou outros males. Temos a honra e o privilégio de compartilhar com os outros essa notícia maravilhosa. Pois estas são as boas novas do Evangelho: o amor que Deus tem pelo indivíduo, a oferta de vida eterna, a ressurreição, o tornar-se uma nova criatura em Cristo Jesus hoje e parte da nova criação maior para a eternidade.

Nossa incumbência é convidar tantos quanto possível a se tornar cada um uma nova criação, ajudá-los a passar pela porta da salvação, trazê-los para um maravilhoso novo mundo hoje e uma eternidade de felicidade no futuro. Enquanto portadores desse convite, viajando pelos caminhos e valados da vida, sejamos motivados pela beleza da dádiva que Deus oferece em Jesus, para compartilhá-la e suas bênçãos com todos que pudermos. Feliz Páscoa!


[1] Viu Deus tudo o que tinha feito, e que era muito bom. E houve tarde e manhã no sexto dia. Gênesis 1:31.

[2] Do suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque dela foste tomado; pois és pó, e ao pó tornarás. Gênesis 3:19.

[3] O nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes que coabitassem, achou-se grávida pelo Espírito Santo. Mateus 1:18.

Respondeu-lhe o anjo: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a Sua sombra. Por isso o ente santo que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.” Lucas 1:35.

[4] Ver os seguintes artigos na série A Essência de Tudo: O Deus Homem (1ª Parte), O Deus Homem (2ª Parte).

[5] Romanos 6:9.

[6] 1 Coríntios 15:51–52.

[7] 1 Tessalonicenses 4:16–17.

[8] Começando por Moisés, e por todos os profetas, explicou-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras. Lucas 24:27.

[9] Iam dois deles [discípulos] para uma aldeia chamada Emaús, que distava de Jerusalém sessenta estádios. Iam falando entre si de tudo o que havia sucedido. Indo eles falando entre si e fazendo perguntas um ao outro, o próprio Jesus se aproximou, e ia com eles. Lucas 24:13–15.

[10] Quando saltaram em terra, viram brasas acesas, tendo por cima peixe e pão. Disse-lhes Jesus: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes.” Simão Pedro entrou no barco e puxou a rede para a terra, cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes, e mesmo sendo tantos a rede não se rompeu. Disse-lhes Jesus: “Vinde, comei.” Nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: “Quem és Tu?” Sabiam que era o Senhor. Veio Jesus, tomou o pão e lhes deu, e semelhantemente o peixe. João 21:9–13.

[11] E, não acreditando eles ainda por causa da alegria, e estando admirados, perguntou-lhes Jesus: “Tendes aqui alguma coisa que comer?” Eles lhe apresentaram um pedaço de peixe assado [e um favo de mel], e Ele comeu diante deles. Lucas 24:41–43.

[12] Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem. 1 Coríntios 15:6.

[13] [Jesus] se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando do que respeita ao reino de Deus. Atos 1:3.

[14] Depois que lhes disse isto, vendo-O eles, foi elevado às alturas e uma nuvem O recebeu, ocultando-O a seus olhos.  E estando eles com os olhos fitos no céu enquanto Ele subia, de repente junto deles se puseram dois homens vestidos de branco, os quais lhes disseram: “Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir, assim como para o céu o vistes ir.” Atos 1:9–11.

[15] O Senhor lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à destra de Deus. Marcos 16:19.

Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis. Atos 2:32–33.

[16] Lucas 24:37–39.

[17] Wayne Grudem, Systematic Theology, p. 832.

[18] Filipenses 3:20–21 NTLH.

[19] 1 João 3:2.

[20] 1 Coríntios 15:35–38.

[21] 1 Coríntios 15:42–44, 49.

[22] Romanos 8:21.

[23] Isaías 65:17.

[24] 2 Pedro 3:13.

[25] Apocalipse 21:1.

[26] Filipenses 2:8–9.

[27] A terra era sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o Espírito de Deus pairava sobre a face das águas. Gênesis 1:2.

[28] O Senhor desceu na nuvem, e lhe [a Moisés] falou, e tirou do Espírito que estava sobre ele, e o pôs sobre aqueles setenta anciãos. Quando o Espírito repousou sobre eles, profetizaram, porém nunca mais voltaram a fazê-lo. Números 11:25.

[29] Chamei por nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência, e de conhecimento, em todo o artifício, para inventar obras artísticas, e trabalhar em ouro, em prata e em bronze, e em lavramento de pedras para engastar, e em entalhadura de madeira; enfim para trabalhar em todo o tipo de lavores. Êxodo 31:2–5.

[30] Josué, filho de Num, estava cheio do espírito de sabedoria, porque Moisés tinha posto sobre ele as suas mãos. Assim os filhos de Israel lhe deram ouvidos, e fizeram como o Senhor ordenara a Moisés. Deuteronômio 34:9.

Tomou Samuel o vaso de azeite, e ungiu-o [Davi] no meio de seus irmãos, e daquele dia em diante o Espírito do Senhor se apoderou de Davi. 1 Samuel 16:13.

[31] Então correu um moço, e anunciou a Moisés: Eldade e Medade profetizam no arraial. Josué, filho de Num, servidor de Moisés desde a juventude, disse: “Moisés, meu Senhor, proíbe-os!” Moisés respondeu: “Tens ciúmes por mim? Oxalá que todo o povo do Senhor fosse profeta, que o Senhor lhes desse o seu Espírito!” Números 11:27–29.

[32] Lucas 24:49.

[33] Atos 1:4–5.

[34] Atos 2:32–33.

[35] Joel 2:28–29.

[36] Definição do dicionário Strong da palavra grega paliggenesia: regeneração.

[37] Atos 2:38–39.

[38] João 3:5–6.

[39] Tito 3:4–6.

[40] Apocalipse 21:1–3.

[41] 1 Coríntios 2:14–16.

[42] Gálatas 5:22–23.

[43] 2 Coríntios 3:17–18.

[44] Romanos 8:19–23.

[45] 1 Coríntios 15:22–26.

[46] Romanos 6:4.

[47] 1 Coríntios 15:14, 17, 20–21.

 

Copyright © 2022 The Family International. Política de Privacidade Política de Cookies